quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Por que as religiões condenam a Sodomia?


            Em boa parte dos pensamentos religiosos da atualidade encontramos uma condenação veemente à sodomia. Tal condenação tem origem no pensamento monoteísta que compõe a civilização ocidental e também o mundo islâmico.


No pensamento védico encontramos algo diferente. No tantra, é natural uma mulher enfiar o dedo no ânus do seu marido como forma de estimular sua próstata e dar prazer. Embora não possa afirmar que todo indiano acha isso normal, há, na literatura indiana, coisas que mostram que os pontos de prazer nos corpos variam muito. O taoísmo chinês, ao que parece, também não tem nada a dizer sobre o rabo das pessoas.


No judaísmo e no cristianismo, não há exceção. A condenação ao uso do ânus como forma de prazer é generalizada. Vem desde a antiguidade, passando pelos monges da Idade Média e chega até os dias de hoje. Nem os ventos do Iluminismo trouxeram uma mudança a essa cultura social de condenação do ânus. Tanto é que uma das principais formas de xingamento no Brasil é “vai tomar no cú!”.


Muitos homens e mulheres que sentem prazer no ânus sentem uma enorme culpa por este ser um prazer condenado pelo Deus no qual acreditam. Pensam veementemente que estão fazendo algo errado e que por isso vão pro inferno. Ora, mas se os “pastores” e padres que os orientam mal sabem o que acontece após a morte, como alguém pode ter certeza do destino que os outros terão? Trata-se unicamente de crença num mundo sem nenhuma comprovação (lembrando que a idéia de inferno não é universal).

 
            Mas se Deus efetivamente condena a sodomia na Bíblia, então temos uma questão interessante. Biologicamente, a próstata é uma fonte de prazer no homem. Qualquer estímulo ali deixa muitos homens excitados. Ora, mas se foi Deus que supostamente criou os corpos das pessoas, como é que ele poderia criar algo com prazer num lugar que ele mesmo “condena”? Deus é burro? Deus cria algo com defeito de fabricação? Então não é perfeito. Assim, sobra apenas a solução de “Deus criou o prazer no ânus para lutar contra a tentação”, numa clara dimensão psicológica de negação do desejo reprimido.


            A solução para isso é ignorar a biologia e convencer a massa de que a sodomia é uma escolha, principalmente no caso dos homossexuais. Mas cada vez mais heterossexuais experimentam a sodomia e gostam. E agora, José?


            Dizem que a condenação à sodomia está na Bíblia, no castigo que Deus enviou aos habitantes de Sodoma. Aí temos uma questão de inúmeras interpretações históricas. Uns dizem que na verdade Deus puniu os habitantes de Sodoma não por prática do sexo anal, mas por não serem hospitaleiros e isso seria um erro de tradução. Essa idéia apenas transfere o foco da “culpa” para outros grupos. Assim, os culpados pela ira divina deixam de ser os praticantes de sodomia e passam a ser os povos antipáticos. Por que Deus até agora não puniu os povos nórdicos por sua frieza e falta de hospitalidade?


            E se for assim, por que Deus já não destruiu Portugal, Argentina, Holanda, Inglaterra, EUA, Nepal etc por terem casamentos homoafetivos? Em nenhum momento cogita-se questionar a idéia de que Deus destrói cidades por causa do comportamento de seu povo. Antes, reforça-se esta crença, procurando novos culpados. Além do que, em se tratando de tradução bíblica, cada um julga ter a verdadeira. Como nos posicionar então?


            Temos, assim um dilema considerável para o mundo moderno. Se estes patriarcas que escreveram a bíblia são tão “iluminados”, como é que eles podem condenar o prazer pelo ânus, algo que está na própria natureza biológica? Então eles não eram tão iluminados assim? Ou eram burros a ponto de negar a natureza do homem? Ou será que eles estão certos em condenar a sodomia? Mas por que Deus então criou a próstata? As pessoas, quando dão o rabo, vêem que nada acontece quando elas dão. Sentem apenas felicidade. Isso é ruim para Deus? Jeová foi colocado no divã!



            Creio que para sairmos disso é preciso analisar a Bíblia à luz da razão e do bom senso. Cada vez mais as pessoas têm lançado olhares críticos sobre as proibições bíblicas e desnudado algumas crenças. Como exemplo poderíamos citar a proibição de comer carne de porco ou a obrigação da circuncisão. Dizem que é por razões espirituais. Ora, mas hoje sabemos que a circuncisão deixa o pênis mais asseado e que a carne de porco conduz muitas doenças, bem como os mariscos.

 

Portanto, essas proibições e obrigações bíblicas têm sua razão de ser em dogmas espirituais ou em simples regras de higiene que o Moisés percebeu em razão de sua evolução espiritual mais avançada? Assim, se hoje já sabemos como neutralizar as possíveis doenças que o porco veicula, há uma razão para se manter a proibição de comer carne de porco? Se hoje já sabemos a importância do asseio pessoal, é necessária a circuncisão?


Cada um dará uma resposta pessoal a isso. O importante é manter o bom senso sem agredir a sua fé. Assim,olhando à luz dessa racionalidade, será que havia alguma razão para a condenação da sodomia em tempos bíblicos?

 

Falando de maneira clara e sincera, a prática do sexo anal pode sim trazer muitas doenças e infecções, ainda mais numa época em que não havia preservativo. É bom não esquecermos que se a bíblica condena a homossexualidade, ela também tem milhares de regras para os heterossexuais, mais até que para os homos. O sexo durante muito tempo tinha uma função reprodutiva devido ao fato de que os perigos para a saúde e para o patrimônios dos varões oriundos de aventuras extraconjugais eram enormes.


Além disso, estamos falando de uma época em que muitos exércitos estupravam os vencidos como forma de humilhá-los. Senhores abusavam de escravos e de seus filhos tanto no sexo vaginal quanto no anal. Ora, do ponto de vista moral, você estuprar alguém, sobretudo pelo ânus, constitui uma violação ética e moral considerável, principalmente se a razão for a posse da vida de outra pessoa.

 

            O que eu quero dizer com isso tudo? É que talvez, na época e no lugar que a Bíblia foi escrita, a condenação à sodomia fizesse bastante sentido e representasse sim uma elevação moral. Não obstante, o que antes era uma recomendação religiosa baseada na visão avançada de alguns líderes, transformou-se num tabu e num dogma. (Mas por que o que fez sentido aos hebreus não fez sentido aos hindus, por exemplo? Dúvida!)


O ânus foi jogado para o desejo reprimido dos homens heterossexuais e estes passaram a viver seu prazer anal olhando para os gays e focando sua consciência no rabo destes. Assim, eu realmente acredito que a sodomia pode ser condenável dependendo do contexto, principalmente numa época em que as DSTs eram uma constante. Mas será que hoje, com a prática do sexo anal de forma consentida, segura e cheia de informações, isso se sustenta no plano religioso simplesmente porque Deus acha isso? Será que o destino pelas pessoas seguirem sua natureza é o inferno?


Deixo a cada um as respostas. Mas é importante analisarmos todo livro sagrado à luz de seu contexto antes de simplesmente tacarmos pedra. O problema é que encaramos a bíblia como simples palavra de Deus e não como fonte de inspiração de um conhecimento que pode sempre se renovar e se ampliar à luz do bom senso e do compasso do mundo.

Amor e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário