sábado, 20 de agosto de 2016

Humanismo, evolução espiritual e política: uma equação que não bate

Muitos textos rosacruzes incentivam os membros a meditarem pela paz mundial e pela evolução da humanidade por meio de exercícios de visualização. Eu sempre recebi essas sugestões de exercícios mentais e os pratico na medida das possibilidades. Trata-se de uma espiritualidade humanista que visa o olhar para o ser-humano em escala global.

Apesar de reconhecer o valor disso tudo, há algum tempo venho me perguntando sobre a validade deste tipo de espiritualidade humanista. Não que ela não tenha sua razão de ser e sua importância, mas sim pelo fato de que é extremamente difícil conciliar as noções de humanismo e evolução espiritual em um mundo material em que os recursos pela sobrevivência são limitados.

Resultado de imagem para humanismo

A título de exemplo, se um país tem uma quantidade x de batatas e essa quantidade não supre toda a população, como fazer para distribuir adequadamente estes alimentos e alimentas as pessoas?

O ideal é que ou cada família receba menos batatas, ou o país compre batatas de fora. Ora, mas nem sempre isso é possível. Este pais, ao vender batatas para o outro que está precisando, diminuirá a oferta de batatas dentro do seu mercado interno, o que aumentará o preço do produto para a sua população. É nobre, então, este país vender estas batatas?

Dei estes exemplos básicos baseados num conhecimento muito superficial de economia para ilustrar como é muito difícil a aplicação deste conceito de "evolução espiritual" em economia. Se em evolução espiritual nós devemos nos preocupar com o "outro", até que ponto vai essa preocupação sem que isso prejudique a nós mesmos?

Resultado de imagem para evolução espiritual

Pessoas que podem se dar ao luxo de se preocupar com a tal da "evolução espiritual" só o fazem quando moram em um país estável com distribuição econômica adequada e mais ou menos equilibrada de recursos que garantam a sobrevivência. Na maior parte do mundo, o pau come mesmo sem essa de "Direitos Humanos". Em outras palavras, a tal "evolução espiritual" existe mesmo graças à evolução tecnológica que permitiu uma maior abundância de recursos. Se não fosse isso, ainda haveria o "primeiro o nosso povo".

Como outro exemplo, se um país permite milhares de imigrantes entrarem em seu território, logo logo isso inflaciona o preço dos imóveis, o que acaba por prejudicar a própria população nativa, como vem ocorrendo em Londres, onde os próprios londrinos já não conseguem comprar imóveis em sua cidade. Logo, o que é humanismo ou "evolução espiritual"? - É proibir massas de imigrantes entrarem para proteger seu povo, ou é permitir entrar milhares deles em nome de um "bem ao próximo"?

Resultado de imagem para refugiados síria

Analogamente, a guerra na Síria é outro exemplo. Esta guerra, que une os interesses russos, com os conflitos entre muçulmanos, a necessidade territorial curda e os interesses americanos é atualmente um barril de pólvora. Afinal, o que é evolução espiritual e humanismo? Deixar as pessoas se matarem? Intervir no país para acabar com aquela guerra? O problema é que para isso, é necessário que os que querem acabar com a guerra, mate pessoas aos milhares. Isso é "evolução espiritual"?

Por fim, vejo cada vez mais que política é a arte da conquista e esta é a arte de o mais forte dominar o mais fraco. Às vezes esse domínio pode ser justo, às vezes injusto ou às vezes complexo demais para fazermos julgamentos de bom ou ruim, justo ou injusto. Nesse processo de disputa política muitas vezes ocorre atropelamentos que, se vistos de fora, não tem nada a ver com humanismo ou "evolução espiritual".

Resultado de imagem para fome na África

Num mundo onde os recursos são limitados e o pau come desde que mundo é mundo, me parece muito difícil aplicar o conceito de "evolução espiritual" ou "humanismo" no mundo da economia e da política, que são respectivamente a capacidade de obter recursos e a forma de melhor distribuí-los.

Se os recursos são limitados, quem deve ter prioridade nessa distribuição? Os que me são "próximos" ou o "outro"?

Resultado de imagem para fome na África

Igualmente, já é fato público e sabido que as tais caridades que países ricos fazem aos países pobres muitas vezes são destrutivas. A alocação de roupas e alimentos dados de graça para determinados países destrói as indústrias locais, que não conseguem competir em preço e em qualidade com os produtos de países industrializados. O resultado é que isso quebra os negócios locais. Então eu pergunto: Afinal, o que é evolução - ajudar países pobres doando coisas ou deixar que eles se virem? É dar alimento a quem precisa ou pressionar os líderes dos países para que cuidem da sua própria população?

É muito complicado.

Hoje em dia só é possível de falar em caridade e doação de alimentos para africanos porque conseguimos produzir toneladas de alimentos graças às transformações tecnológicas. Se não fosse isso, esse humanismo midiático que se preocupa com a fome no mundo ou crianças mutiladas na Síria sequer existiria. O que existiria era países fazendo de tudo para proteger a sua produção e o seu povo.

Resultado de imagem para era industrialResultado de imagem para era industrial

Ainda que eu considere positivo a mentalização de vibrações de amor, paz e saúde para a humanidade, me parece que o mundo real tem demandas que não se resolve com mentalização, mas somente com disputa de força, controle e domínio.

E como isso se relaciona com os LGBTs?

Simples. Muitos dos lugares em guerras e conflitos atualmente são lugares homofóbicos ou que criminalizam os LGBTs. Daí fica a pergunta: cabe "salvar" nações em que gays são perseguidos? Ou cabe desejar que todo esse povo se mate logo?

A resposta a isso deixo ao coração de cada um.

Resultado de imagem para chacra cardiaco

O que quero problematizar aqui e chamo o leitor à reflexão é sobre o fato de ser bem difícil conciliar espiritualidade com o mundo da política.

Claro que há quem diga que ser "espiritualmente evoluído" em termos de política é se preocupar com Direitos Humanos, ser politicamente correto, ser de esquerda ou vegetariano... Mas isso me parece hoje uma posição muito ingênua, pois todos estes conceitos só surgem, repito, em países estáveis. Em lugares onde o que abunda é a escassez, é bem complicado entender ou identificar o que seria uma "evolução espiritual". Além disso, a minha experiência de vida me mostra que ser de esquerda, vegano ou politicamente correto muitas vezes nada tem de evolução espiritual. 

Estes são conceitos políticos que também têm suas falhas e eu não acho que uma pessoa ser de esquerda represente automaticamente que ela é espiritualmente evoluída ou mais engajada pelo próximo. Essa visão é bastante pueril pois simplifica ao extremo a complexidade das coisas.

Resultado de imagem para ser de esquerda

E vocês, o que têm a dizer sobre isso?

Amor e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário